O Livro

       "Onde vivem os monstros" é um livro infantil e ganhador de vários prêmios importantes. Revolucionou os livros infantis, pois criou o que atualmente eu admiro muito: o conceito de livros ilustrados para crianças. Uma das obras preferidas do atual presidente do Estados Unidos, Barack Obama. E para mim, não tão importante quanto o presidente-de-pá&pá, digno de ser deixado para os filhos.
          É uma obra de arte, com gravuras fantásticas que ocupam duas páginas inteiras, capa super bem caprichada com papel importado e textura nas bordas, o que confere ao livro um preço alto. Aliás, extremamente alto pra somente 40 páginas. Conta a história de Max, um garoto vestido de lobo que faz pirraça e é mandado para o quarto, de onde sai em um veleiro e acha o lugar onde vivem os monstros, tornando-se rei.

Nos Cinemas

        Já ouvi muita coisa sobre o filme, bem mais coisas negativas do que positivas, como os que disseram que o filme é estranho, chato, bobo e entediante. Em todo caso, resolvi assisti-lo. 
      
       Bem, bem, bem. Antes que eu comece a dizer tudo que achei, quero denunciar aqui meu apreço por coisas simples e infantis, como aquelas ilustrações de livros de criança, as canções de letras bobas (vide Cocoon e Owl City) e etc. Sou, portanto, suspeito pra falar aqui sobre esse tema. De qualquer forma, vamos ao filme. 

         Se estendendo muito, muito mais que o livro - o que é inevitável devido ao pequeno número de páginas da obra original – o filme mostra um Max tão moleque quanto o Max das gravuras, porém este parece um tanto mais sensível e menos rabugento, graças a uma sequência de conflitos infantis, como com a irmã mais velha, que ignora a criança; e com a mãe, dividida entre o trabalho, o filho e o novo namorado. Toda essa roupagem só deixa o filme profundo e mais real.

      Essa realidade é transmitida inclusive para os monstros. Carol, KW, Judith e todos os outros personagens e amigos de Max foram munidos de nomes e personalidades diferentes, e não há como não relacionar você e seus amigos com alguns deles. Seja no pessimismo da Judith, na impulsividade do Carol, na fidelidade do Douglas e nas tantas outras características. A humanidade dos personagens é notada também nas atitudes de Max, nas ordens que ele recebe e que ele transmite quando se torna rei, na solidão contínua, da criança e dos monstros, na necessidade de ter atenção e no amor que não se consegue corresponder da forma certa. 

Você entende de solidão? - Um dos monstros, para Max.
       É um filme bonito e com bastante coisa pra ensinar. Estranho e muitas vezes mal interpretado. Com cenas muito bonitas e felizes. De trilha sonora confortante, bons efeitos especiais e com um final que provalvelmente vai fazer você apertar os olhos pra não chorar. E antes que você assista, desvencilhe-se um pouco da criticidade jovem/adulta, ou nada do que eu disser vai fazer você entender o mínimo minuto. 
            Nós vamos cuidar uns dos outros e vamos todos dormir juntos numa pilha. - Max 
         Onde vivem os monstros? Você sabe. É pra onde você foge quando o mundo aqui parece duro e hostil demais. É onde buscamos conforto e amizade e voltamos a ser aquele ser infantil, que só se preocupava em saber o que ia ganhar de natal. 


  Lançado em janeiro de 2010,
você só encontra
"Onde vivem os monstros"
em DVD.